terça-feira, 6 de setembro de 2011

SOPRO




(Líricas de um Evangelho Insano)

Sopro palavras/ palavras me sopram
palavras sopram o vento
cataventos sopram o tempo
Modelar o pó soprado
retirar do nada a pulsação
soprar além da bidimensão / ilusão/
moldar o pó
desatar o nós
do nó
sol imensidão

2 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

E são palavras aventandas o seu significado bem moldadas no papel. Bjos.

Madalena Barranco disse...

E o vento sopra em teu poema feito um mensageiro incansável... Adorei, Lilian querida.

Beijos