domingo, 5 de abril de 2009

SOB OS OLHOS DO POEMA/NO JARDIM DE SOFIA (zocha)




... leve-se mil anos a abrirem-se as páginas

ainda assim ameiado frente e verso

vidas o meu poema

Te carrego minha estrofe pela cidade nua

pelas esquinas derretidas do meu tempo

na luz do pavio da minha arca cinzelada

te sopro sob o gume da lua com sua luz prateada

que corta o céu e a terra

e te esparrama pelas minhas estradas

Ainda que a noite me queime teus lírios

não te desnudará de mim sabor de meus pães...

2 comentários:

O Profeta disse...

As madrugadas na Ilha
São feitas de morna calmaria
A brisa dança no silêncio
Os pássaros dormem em harmonia

Uma valsa de bonança
O rodopio das águas de um ribeiro
As hortênsias pintam a terra de azul
Um sino solta o seu tocar primeiro



Boa Páscoa


Mágico beijo

Úrsula Avner disse...

Olá cara escritora, bom te encontrar aqui no blogspot também, além de sermos colegs no RL. Bela e intensa sua poesia, onde a sensibilidade se faz sentir em cada verso. Quando puder visite meus blogs. Bjs com carinho.