sábado, 17 de maio de 2008

A SALGA

http://www.sapo.pt/




(líricas de um evangelho insano)



O lodo dos pântanos respira e me salga por dentro.

Sob a escuridão, vozes do sertão...

olhai meus lírios de sangue!!!

6 comentários:

eder ribeiro disse...

até na turvidão pode se encontrar "luz". bjos.

zelia disse...

Lilian...Versos perfeitos e sensíveis! Sua marca registrada...
Beijos e muita luz, querida poetisa!

zelia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Videira Santos disse...

Duas palavras apenas: Muito bom!

Regiane Karpuska disse...

Gostei muito do seu blog!!!
Esta muito legal!
Parabéns

Madalena Barranco disse...

Querida Lilian, estava com saudade de sua poesia tão especial e singular. "A salga" é forte e chega a doer pela voz sofrida que verseja do povo...
Beijos e muito obrigada pelo seu precioso comentário em meu texto "A paixão pela crônica" no Leia Livro.